domingo, 3 de fevereiro de 2013

Por um feliz Natal de verdade



2013, um horizonte



Um trono a todo ouvidos


“Quando se abriu o sétimo selo, houve silêncio no céu por cerca de meia hora. E então vi os sete anjos, em pé diante de Deus, e foram dadas a eles sete trombetas. E outro anjo parou-se junto ao altar, com um incensário dourado, e foi lhe dado muito incenso para oferecer junto às orações de todos os santos sobre o altar dourado diante do trono; e de suas mãos subiu a fumaça do incenso com as orações dos santos diante de Deus. Então o anjo tomou o incensário e o encheu com o fogo do altar e o lançou sobre a terra, e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremotos.”
Apocalipse 8.1-5

Enquanto os santos, sob perseguição e tribulação, estão orando, guiados pelo Espírito de Deus, suas imperfeições são assistidas pela intercessão de Cristo, como que envolvidas pelo incenso sacerdotal bem quisto diante do altar de Deus – onde o Cordeiro de Deus é o único sacrifício aceitável. Uma vez envoltas por essa mediação, as orações sobem à presença de Deus como aroma agradável, e são ouvidas diante do grande e mais sublime trono. Dali o Senhor responde aos “ais” e aos sofrimentos de seus santos, declarando com trovões, vozes, relâmpagos e terremotos, diante dos céus, da criação, principados e potestades, que o clamor de seus filhos, perseguidos por causa do nome do seu Unigênito, o Cristo, e do evangelho, jamais serão vãos, antes serão concomitantes com os desígnios eternos de Deus para a história escatológica que se cumpre para sua própria glória. Este é o conteúdo do sétimo selo: o juízo que se manifesta por amor dos santos de Deus.

Que a igreja militante entenda, descanse e se motive nesse fato, de que todo o processo de consumação histórica, controlado pela exclusiva autoridade de Deus, ocorrerá mediante suas orações ouvidas diante de Deus. Para os clamores da igreja há resposta poderosa do trono para atendê-los. Por isso a igreja deve orar sempre – você deve orar –, na certeza de que nenhum de seus sofrimentos por causa de Cristo e do Evangelho serão perdidos na História. Antes encontrarão parte na soberania justa e boníssima do Deus eterno, que tem planos para a vida de seus santos comprados por alto preço e tão atenciosamente ouvidos.